segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Ausência


Ontem disse-lhe que não viria.
Fechou a porta pondo um ponto final na história.
Sorriu confiante como se as palavras fossem apenas uma birra infantil, sem importância.
Sabia do poder das suas mãos no corpo dela, da força dos seus sussurros na concha que era a sua vida, da mensagem decifrada dos seus beijos.
Mas esqueceu-se…dela: mulher-desejo, mulher-mistério, mulher-vida.
E esperou uma longa noite abraçado ao fumo do cigarro, olhar perdido na chávena de café frio.
Fugiu o dia e chegou uma lua cheia de nada, vestida com o negro nocturno.
A porta continuava fechada. As palavras ecoavam entre as paredes compondo uma balada de medo e saudade.
Lembrava-se agora de cada traço das suas palavras, de cada sorriso dos seus suspiros, da voz meiga sem exigências, da coragem de ser mulher em todas as adversidades.
E soube finalmente que a tinha perdido, que ela se tinha tornado definitivamente – ausência!

264 comentários:

1 – 200 de 264   Mais recente›   Mais recente»
Paula Raposo disse...

Tantas as vezes que acontece assim...muitos beijos.

mateo disse...

Que coragem... ela confessar o seu amor e a sua definitiva ausência.
Restou a dignidade.
Bj

gaivota disse...

um poema muito sentido, a ausência de uma mulher que sempre teve essa coragem de ser mulher!
lembrei uma ausência dorida...
beijinhos

Amaral disse...

Carla
Adorei estas mãos cheias de nada, mas repletas de muitas coisas.
Boa semana
Bjo

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Léo Mandoki, Jr. disse...

... de quem são essas gravuras? ou pinturas?...as vzs me desconcentro da leitura para observar as imagens...são bonitas...
....
qnd estamos a amar, dificilmente tomamos a decisão de interromper esse amor....
mas sp considerei importante haver uma dose bastante racional na decisão de começar a amar..não qnd somos adolescentes e jovens, mas sim os amores que nos acontecem qnd já temos a maturidade suficiente para decidirmos sobre o amor
beijos!
tens uma capacidade mto sensitiva para escolher as palavras certas nos teus textos..eu gosto!

Maria Clarinda disse...

Lindo...lindo...este teu texto!!!
Parabéns!
Na ausência encontra-se por vezes a verdade...do que se teve e não se deu valor.
Jinhos muitos

wind disse...

A ausência dói.
Muito bem descrito.
Beijos

Pena disse...

Um poema entre amantes que emudece e tudo silencia...
"...embrava-se agora de cada traço das suas palavras, de cada sorriso dos seus suspiros, da voz meiga sem exigências, da coragem de ser mulher em todas as adversidades.
E soube finalmente que a tinha perdido, que ela se tinha tornado definitivamente – ausência!..."

Uma ausência feita por palavras belas. Mágicas. Misteriosas.
Um poema que nos catapulta para a preciosa poesia de significação de encanto de uma solidão inevitável. Sofrida...? Creio que não, com sinceridade!
Um poema profundo. Repleto de um sentimento de "desencontro" existencial vivido do ser e sentir...

Beijinhos

pena

OBRIGADO pela visita simpática que adorei!
Bem-Haja, amiga!

korrosiva disse...

Não raras vezes, só se apercebem do amor que têm, quando o perdem..

Bonito poema :)

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA CARLA... PARABÉNS POR TÃO BELO TEXTO... UMA GRANDE LIÇÃO DE VIDA... UMA BOA SEMANA PARA TI...
UM ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

EternaApaixonada disse...

*****

Querida amiga Carla

Serei eu a primeira a comentar? Nem acredito!
Seus contos são fantásticos! Mostram sentimento universal... Encaixam em vários momentos...
Ausência revela com suavidade a perda que insiste em doer...entre as lembranças que guardamos...

Amiga, que tenha muita inspiração em 2009, aliada ao seu talento, para nos encantar!

Boa semana que se inicia!

Beijos da Helô

*****

Max Psycho disse...

pois é, não soube valorizar, perdeu, é o problema de todos os homens, não darem valor

Pedrasnuas disse...

Bela composição visual e escrita!
É preciso coragem para colocar um ponto final! E sobretudo não voltar atrás!
Beijo e boa semana

Valter Montani disse...

Oi Carla,

Passei para lhe desejar uma excelente semana, bjs

vera disse...

Há muito tempo que não me deliciava com as tuas palavras... Por isso vim mais uma vez sorver as tuas palavras em desalinho... Continuas a fazer-me sentir tantas coisas que não consigo explicar neste teu cantinho... Obrigada.

Beijinhos

Branca disse...

Isso acontece muito...
As mulheres doam-se totalmente numa relação,entregam-se sem reservas, o homem só percebe essa entrega qdo já é tarde demais...
lógico que não é regra geral, mas a maioria dos homens largam a esposa só qdo já tem outra pra ocupar seu lugar, porque até então, a relação por mais desgastada que esteja, basta...
já a mulher demora muito pra tomar essa decisão, geralmente é bem sofrida, porque até o último instante acreditamos que a pessoa vai mudar...
Boa semana pra ti,
bjo carinhoso,
Branca.

Fatyly disse...

uma "ausência" repleta de sentidos, que dói e faz doer até que tudo se acalme.

Gostei muito!

Beijos e uma boa semana

Sininho disse...

Será mesmo...não sei..por vezes é ausência que traz de volta quem um dia teve presente..eu gostava que ela voltasse...:)
jinhos

Rafeiro Perfumado disse...

E tentar entrar pela janela, não?

Marta disse...

Por vezes, dificil de aceitar...
Texto muito sensivel e perfeito na descrição dos sentimentos...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Maria disse...

Quem sabe ela volta, um dia... embora quando uma decisão é assim tomada seja mesmo pra valer...

um beijo

Esplanando disse...

Outras presenças descobrirás!

Eu sei que vou te amar disse...

Linda, deliciosamente bem escrito:
"esperou uma longa noite abraçado ao fumo do cigarro, olhar perdido na chávena de café frio."
As vezes e necessarion fechar uma porta e deixar a vida abrir uma janela!
Beijo doce

Celamar Maione disse...

Muitas vezes é só na ausência que a presença se torna mais forte.
Estranho paradoxo.
Boa semana pra você também.
Beijão

Esyath disse...

Carla,

uma das coisas que mais temo é deixar a vida passar... e permitir que o hoje se torne apenas uma recordação passada e inssossa...

Beijos (Des)conexos!

Simples Assim... disse...

O maior problema, acho eu, nem foi ter perdido a mulher, mas a si mesmo. Há algumas relações que nos encorajam a sermos o que em essência somos e, na maior parte do tempo, deixamos guardado, protegido, em alguma gaveta trancada. Perder-se é bem ruim. O bom disso é que sempre há a possiblidade de reencontro consigo mesmo... sempre.

P.S.: Adorei o post.

Colibri disse...

Olá Carla,

Mesmo do lado dela
Sentia a sua ausência
No luar da cidadela
Perdi a sua essência

Lindo poema!

Beijinhos
Colibri
------
Os meus últimos sentires…
Doce viajar…
Ricordeas lindas (Parte I)…
Projecto de vitória para 2009… (Novo blog: Eis-me aqui).
Brevemente terei um novo post em Traços de Angola.

Nuno Medon disse...

Olá! Uma boa semana para ti também. beijos

O Árabe disse...

Ausências... muitas são as que se tornam sonhadas presenças. :) Boa semana.

Tecnenfermaginando disse...

Olá, Carla.

Tamanha sensibilidade, hein?

Há homens assim e pior que isto, é que existem mulheres que se permitem viver numa relação assim.

Magnífico!

Boa semana,
Teresa

Cadinho RoCo disse...

Quando a ausência passa a ser percebida aí a coisa complica.
Cadinho RoCo

Gilbamar disse...

É preciso deixar de lado o orgulho e lançar aquele olhar de amor a quem fala que se vai...para que fique...para que não se torne ausência.

Tocante mensagem minha amiga Carla. Eu aplaudo.

Fraterñal abraço do amigo Gilbamar.

paula barros disse...

Ausência é sempre uma situação delicada, para quem quer a presença.

Mesmo ausente, fica se sentindo.


abraços

Pedro Barata disse...

E muitas vezes a ausência sente-se mais que a presença...
Beijinhos

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Carla...belo texto muito marcado pela Ausência...Espectacular...
Beijos

Telma disse...

É preciso ter uma enorme força de vontade para por um ponto final, é necessaria tanta coragem, coragem essa que é tão dificil de ter.
Beijos e continua assim o teu blog esta absolutamente fabuloso.
Convido-te para o desafio:
a) Escrever uma lista com 8 coisas que sonho fazer ou com as quais sonhe.
b) Convidar 8 bloguistas a responder ao mesmo.
c) Comentar no blog de quem partiu o desafio.
d) Comentar no blog de quem desafiamos.
e) Mencionar as regras.

Pedro disse...

A nostalgia... palavras definitivamente demasiado próximas, e ao mesmo tempo de um sujeito distante...

João Reis disse...

Profundo. Infelizmente são tantas as vezes que não se dá valor ao que se tem....depois....já é tarde.
Dói...
Bjinhos

Andreia disse...

Acaba sempre, mesmo por momentos, por ser inevitável a ausência!
Mesmo bem escrito! :)

OUTONO disse...

Perder...uma palavra infelizmente existente no nosso láxico...e que gostaria de não escrever...
Infelizmente aqui e ali, vou tendo pela frente...esse conjugar de verbo...tão difícil!

Perfeita edição !

Beijinho.

mdsol disse...

A ausência tem uma filha
Tem uma filha
Que se chama saudade
Eu sustento mãe e filha
Ai mãe e filha
Bem contra a minha vontade!

(cancioneiro açoreano...)

Texto muito bonito Carla!

:))

tossan disse...

Dignidade sempre. Fibra!
Poesia bela, madura e especial. Bj

Nuno de Sousa disse...

Uma mão cheia de arte... mãos de mulher que contam a coragem e o amor.Parabéns Carla,
Bjs amiga,
Nuno

Shakti disse...

Fica a ternura...bem bom...

bj

KrystalDiverso disse...

Porra!... Desculpe a expressão, mas isto é poesia da vida nua e crua!... mais demasiado crua do que talvez nua!... Dá que pensar!
Não sei se é um testemunho autobiográfico, no entanto, é uma imagem onde muito boas mulheres se revêem. E muitos homens também. pena que a maior parte deles só sintam a falta "perda" quando a perdem!

tenha uma boa semana!


Escolha entre... beijos e abraços

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Sublime. Maravilhoso. Divino!
Ah, emocionou-me, Carla!
Beijos e borboleteios

Ana Martins disse...

Carla,
maravilhoso este texto em prosa que descreve uma ausência demasiado sofrida.

Deixo aqui um poema meu em tom de comentário, pois também ele descreve a ausência.

" AUSÊNCIA "

É um fogo que me queima,
Me consome e entranha,
Me desgasta e arrasta,
É esta dor que alastra.
A verdade dura e nefasta,
O silêncio demolidor que ficou,
O não estares aqui
Ao pé de mim
Na nossa casa!
Ausência,
É ver nosso quarto a preto e branco,
A cama tão grande e macia,
O teu lugar vazio,
O meu amor por ti fiel
E a tua ausência tão fria
Com o sabor amargo do fel.

Ana Martins

Beijinhos

Gazeta na net disse...

Olá minha querida,
Lindíssimo e verdadeiro, por vezes o valor da presença só é atribuído na sua ausência .
Fica bem
Beijos perfumados

Espelho disse...

Do nada sobra a ausência acompanhado pelos tempos mortos, na urgência do esquecimento.

Beijo

paulofski disse...

Na ausência se sente a falta. A saudade virá para lhe fazer companhia.

Belo texto.

Beijo

Cleo disse...

Carla, cada vez que leio o teu perfil assim :
Uma mão de bruma... e outra de magia, viajo em cada frase tua escrita.

é sério. bravíssimo prá você.
eu não leio o que escreveste depois da mão de bruma, eu reinvento. não me leve à mal, mas aguardo um livro teu autografado.
Beijão.
Cleo

Saara Senna disse...

Olá Carla, tudo bem?
Essa é minha primeira visitinha ao seu blog.

Lindo o texto!
Adorei a musica também, nem da vontade de sair daqui rsrrss

Boa semana pra você!
Beijos :)

Maripa disse...

São tantas as vezes
que assim acotece...só se dar valor ao que se perdeu.

Texto com a tua marca de sensibilidade.

Beijinho,Carla.

neide disse...

As vezes é na ausência que o ser amado se faz mas presente... É aí que dói mais.

Belo blog.

bjs.

Nanda Assis disse...

pior é qndo o presente se faz ausente.

bjoss...

As Chamas do Fénix disse...

Olá…
Estou de volta amigos e amigas… o Fénix já tem nova casa
http://aschamasdofenix.blogspot.com/

Uma grande Chama para ti… Abreijos

Val Du disse...

Poema profundo e dolorido.
Ausência que deixa presente uma dor.

Que você tenha uma ótima semana.

Beijos.

Andreia do Flautim disse...

Uma boa semana para ti!

JOCENDIR CAMARGO disse...

Maior que a dor da ausência é a dor do vazío minha cara... sentir a ausência de alguem mostra que tens a alma nobre de confessar que existe um alguém... pior seria a dor do isolamento, estar só, sem ninguém à esperar... tenha um linda semana... um beijo com meu afeto...

Carla disse...

Paula Raposo
...imensas, mesmo
beijos

Carla disse...

Mateo
...dorida
beijos

Carla disse...

Gaivota
...porque as ausências geram saudades
beijos

Carla disse...

Amaral
...mãos de ausência, neste caso
beijos

Carla disse...

MPereira
ausência e solidão irmãs gémeas da saudade
beijos

Carla disse...

Léo
Todas as imagens do blog são da minha autoria...fico feliz por gostares delas
tens razão...tem de existir uma consciência e uma predisposição para o amor.
Obrigada pelas simpáticas palavras
beijos

Carla disse...

Maria Clarinda
A ausência permite...pensar no que se perdeu
beijos

Carla disse...

Wind
Dói sim
beijos

Carla disse...

Pena
numa coisa tens razão amigo, nem sempre a solidão é sofrida...por vezes é apenas uma opção
beijos

Carla disse...

Korrosiva
quantas vezes assim é!
beijos

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!! Que texto!!Feliz 2009!!

Carla disse...

Fernanda
as lições são quase sempre a vida que nos dá, não é verdade?
beijos

Carla disse...

Eterna Apaixonada
são apenas momentos de vida...uns vividos outros sentidos
beijos e bom ano

Carla disse...

Max
dos homens...e creio também que de algumas mulheres
beijos

Carla disse...

Pedrasnuas
como bem dizes é preciso coragem...sobretudo para não voltar atrás
beijos

Carla disse...

Valter
obrigada
uma boa semana para ti também
beijos

Carla disse...

Vera
olá amiga
sejas bem aparecida e que bom que continuas a gostar das minhas palavras
beijos

Carla disse...

Branca
pois as mulheres pensam, pensam...mas quando decidem
beijos

Carla disse...

Fatyly
a ausência dói quando se escreve com as mesmas letras de saudade
beijos amigos

Carla disse...

Sininho
será que vale a pena?
beijos

Carla disse...

Rafeiro Perfumado
era uma opção... o problema é o medo das alturas :)
beijos

Carla disse...

Marta
difícil de aceitar, principalmente ao nível do sentir
beijos

Carla disse...

Maria
como dizia à Sininho, será que vale a pena o regresso?
beijos

Carla disse...

Esplanando
provavelmente
beijos

Carla disse...

Eu sei que...
...e arranjar forças para isso
beijos

Carla disse...

Celamar
um paradoxo mais do que real
beijos

Carla disse...

Esyath
e quem não tem esse receio...mas, por vezes, o comodismo fala tão alto
beijos

Carla disse...

Simples assim
sem dúvida é bom quando a ausência permite o reencontro connosco próprios...mas nem sempre acontece
beijos

Carla disse...

Colibri
obrigada pela essência das tuas palavras
vou já ver os teus últimos sentires
beijos

Carla disse...

Nuno
obrigada
beijos

Carla disse...

O Árabe
quase sempre assim é
beijos

Carla disse...

Tecnenfermaginando
um problema com dois ângulos
beijos

Carla disse...

Cadinho
aí é sentida
beijos

Carla disse...

Gilbamar
um olhar fundamental, sem dúvida, mas ás vezes não chega
obrigada

Carla disse...

Paula Barros
porque a ausência pode ser uma forma deixar o amor viver
beijos

Carla disse...

Pedro Barata
...quantas vezes é igualmente forte
beijos

Carla disse...

Chana
obrigada
beijos

Carla disse...

Telma
Obrigada pela visita e pelas palavras aqui deixadas
relativamente ao Desafio...prometo que vou pensar nele com todo o carinho assim que tiver um tempinho livre
beijos

Carla disse...

Pedro
bem conjugadas as tuas palavras...principalmente com o sujeito distante
beijos

Carla disse...

João reis
e quando é tarde...a dor da ausência chega
beijos

Carla disse...

Andreia
inevitável, mas nem por isso menos dolorosa
beijos

Carla disse...

Outono
aqui ali vamos conjugando este verbo maldito
beijos

Carla disse...

Mdsol
não conhecia esta música...gostei muito
beijos

Carla disse...

Tossan
a poesia escreve-se com as páginas da vida
beijos

Carla disse...

Nuno de Sousa
normalmente as mãos de Mulheres são assim, amigo
beijos

Carla disse...

Shakti
...é bom, mas por vezes pouco
beijos

Carla disse...

Crystal
poesia de vida sim...e uma realidade comum
obrigada pela visita
beijos

Carla disse...

Brunella
obrigada pelas simpáticas palavras
beijos

Carla disse...

Ana Martins
obrigada pela oferta do teu belo poema que complementa o meu texto
beijos

Carla disse...

Gazeta na Net
ausência que se faz presença
beijos

Carla disse...

Espelho
a ausência tem urgência de esquecer, só que nem sempre o consegue
beijos

Carla disse...

Paulofski
Sim.. é isso mesmo. Depois da ausência a saudade
beijos

Perla disse...

Há ausências que só com ausência despertam!

Bjs

Carla disse...

Cleo
Se reinventas depois das minhas palavras, só me posso sentir feliz!
Um livro...talvez um dia, mas obrigada pela força
beijos

Carla disse...

Saara
obrigada pela visita e peor se ter sentido bem por aqui
beijos

Carla disse...

Maripa
tantas mesmo, amiga
beijos

Carla disse...

Neide
é aí que a dor se sente
obrigada pela visita
beijos

Carla disse...

Nanda
pensando bem...isso também é muito mau, tens toda a razão
beijos

Carla disse...

Chamas do Fénix
ainda bem que regressaste...felicidades para a tua nova casa
beijos

Carla disse...

Val Du
Ausência que deixa a dor
beijos

Carla disse...

Andreia
obrigada
beijos

Carla disse...

Jocendir
e quando é a ausência que provoca o vazio?
ou quando a ausência é apenas uma decisão consciente?
...mas tens razão numa coisa muito pior do que a ausência é o vazio
beijos e obrigada

Laura disse...

E eu cheguei aqui pela mão do Abssinto e gostei do que vi. Muito. Convido-te a visitares o meu espaço...

Carla disse...

Poeta mauro Rocha
obrigada
beijos

Carla disse...

Perla
e são essas a dorida ausências
beijos

Carla disse...

Laura
obrigada pela visita
volta sempre
beijos

em azul disse...

Quando tem que ser... passamos a ausentes num repente!


Desculpa que só hoje reaparei no prémio, Carla. Estive um pouco ausente.
Obrigada por ter escolhido o "virtualmente em azul", foi para mim uma honra.

Um beijo
em azul

Carla disse...

em azul
...é isso mesmo de presentes a ausentes num ápice.
Não tens que agradecer, gostei de o oferecer
beijos

Vieira Calado disse...

Penso que os comentarista disseram tudo do texto de que simplesmente direi que gostei.

Bjs

Vieira Calado disse...

Ou será da dita cuja?

(rs)

Justine disse...

Pungente e doce, o teu belo texto!

Luiz Caio disse...

Oi Carla! Como vai?
É sempre aquela vélha história, de se dar valor à pessoa apenas depois que já a perdeu!

TENHA UMA ÓTIMA TARDE!
BEIJOS.

BC disse...

Um texto muito realista de adversidades que fazem parte da vida.
Beijo

Agulheta disse...

Ausência é uma palavra triste,mas por vezes é melhor que uma presença inconveniente,gostei do texto.

Beijo
Lisa

C Valente disse...

Saudações amigas, lindo

© Piedade Araújo Sol disse...

para mim um dos teus melhores textos.

parabéns!

beij

Carla disse...

Vieira Calado
e eu direi...obrigada
beijos

Carla disse...

Vieira Calado
até poderá ser
beijos

Carla disse...

Justine
quase diria...agri-doce
beijos

Carla disse...

Luiz Caio
...quase tão velha como o mundo e nem assim as pessoas aprendem, não é?
beijos

Carla disse...

BC
adeversidades pelos quais todos passamos
beijos

Carla disse...

Agulheta
tens toda a razão
beijos

Carla disse...

Agulheta
tens toda a razão
beijos

Carla disse...

Agulheta
tens toda a razão
beijos

Carla disse...

CValente
obrigada
beijos

Carla disse...

Piedade
por vários motivos, também gosto especialmente dele
beijos

JPD disse...

E nós ganhámos uma belíssima história.

Quebrar uma vida a dois é penoso.
Na tua narrativa fica-se sem saber se ele fingiu não desejar saber porque partia ela, se pelo desconforto, se pela fraca contra-argumentção para que ficasse, se, afinal concordando, a relacçã estava esgotada.
Ele esteve sempre decidida.
Foi.
(Mas tudo isto seria uma história diferente da que editaste...)

Bjs

Nilson Barcelli disse...

Há ausências sem retorno... acontece.
Gostei da narrativa, excelente.
Beijo.

UIFPW08 disse...

Carla, obrigado pela sua visita ao meu blog
um beijo Morris

SAM disse...

Sou sua admiradora confessa, Carla! Belíssimo texto! Um lindo post!


Grande beijo, querida e talentosa amiga

Um Poema disse...

....

Expressivo, este texto.
Excelente!

Obrigado pela visita.

Um abraço

Só Eu disse...

Olá Bom dia.
Acho, francamente, estar perante um dos melhores textos saídos da inspiração duma mulher "presente". Que bem tratas a ausência. Não é não estar. É não existir mais. Brilhante.
Passou a ser um culto visitar-te. Uma religião ler-te. Um prazer enorme discutir-te.
Beijinhos
Ricardo

Sol disse...

Bom dia Carla!
agradeço a visita
desejo uma boa quarta feira
beijinho
Sol...

Carla disse...

JPD
seria uma outra história sim...provavelmente com outros personagens
beijos

Carla disse...

Nilson
há sim...dependendo dos intervenientes
beijos

Carla disse...

UIFPW08
de nada, já estava em atraso a retribuição da tua visita
beijos

Carla disse...

SAM
e fico feliz por isso, principalmente porque também gosto muito de te ler
beijos

Carla disse...

UM poema
obrigada
beijos

Carla disse...

Só Eu
uiiii assim fico convencida, mas obrigada pela simpatia presente nas tuas palavras
beijos

Carla disse...

Sol
obrigada eu pela tua presença
beijos

poetaeusou . . . disse...

*
a ausencia,
que eu deixei . . .
,
VOLTEI . . .
,
alentado me sinto
com a tua visita,
,
navego,
no mar do contentamento,
espumando sophia,
entre o sal de pessoa
e a fenda de redol . . .
,
vagas de gratidão, deixo-te,
,
*

Carla disse...

Poetaeusou
...que bom o fim da tua ausência
beijos

São disse...

Porque será que nunca (nos) acreditam?!
Beijo.

Eduardo Aleixo disse...

Como o povo diz: quando não temos as coisas é que lhes damos valor. Sim, valor tem também o teu poema. E muito. Por isso, se eu fossse namorado dele, poema, no feminino aqui, cuidaria dela, para não perder o poema que escreveste, que versa assunto sério. Para mim, do melhor que já escreveste. Porque ultrapassa o sensual e chama-nos a atenção para o terrivelmente belo da vida e do amor. Beijos meus. Eduardo ( já regressei ).

Vanessa. disse...

Tantas e tantas vezes é assim que termina... Ausência!

O Profeta disse...

Brotam e correm para o Mar
Os sonhos da tua alma de gaivota
Têm a nudez das águas de uma baía
Neste coração de dor encoberta

Rosa breve em aurora de Abril
Festa da luz no azul do mundo
Semeias sonhos como estrelas no espaço
Guardas apenas um no teu mais profundo



Boa semana


Mágico beijo

varal experimental disse...

Carla, você sempre me encanta com suas palavras.

Beijinhos.

José Veloso disse...

Um beijo
JV

Anónimo disse...

Já vi muitos blogs com coisas interessantíssimas, práticas do dia a dia e cujo debate poderia trazer avanço nas mentalidades das pessoas mas sem atenção nem qualquer post colocado. Pasme-se: uma dissertação de lugares comuns e mais que batidos leva uma "catrefada" de comentários fúteis revelando o vazio dos seus autores como se isto fosse algo por descobrir no mundo

paradoXos disse...

Que estejas sempre presente na ausência pra que nos possas sempre brindar assim - com a tua presença - poderosa!!


teu beijo!

Chapeleiro Noturno disse...

O amor romântico é algo que se alimenta principalmente de mistérios, suspenses, incertezas, na verdade é isso que nos impulsiona a conhecer o próximo e nos apaixonar, pois costumamos enxergar no outro ser desconhecido justamente um reflexo de nós.

O grande problema é quando o outro ser já se tornou um completo conhecido, sem mistérios que nos desperte a curiosidade. Nesse momento ou provocamos inovações no relacionamento ou ele afunda.

Fernando Pessoa tem um poema que fala exatamente sobre isso, mas agora não me recordo qual.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Belíssimo poema em prosa, digno de um Baudelaire.
Carla:
Fiz um post digno do Galeria. Você pode ir aos outros Blogs depois, mas primeiro vá ao Galeria. Não vai arrepender-se.
Um beijo,
Renata

Pearl disse...

Carla só depois de experimentada essa ausência se consegue acreditar naquilo que já findou!

deixo te um beijo enorme e que 2009 seja tudo de bom como mereces!

Lmatta disse...

Muito bem escrito
beijos

.::Borboleta::. disse...

que texto...
identifiquei me tanto
:'(
beijinhoss

vagabundo disse...

Tenho saudades de Ti.
Do que és e eu não vi
porque apenas o fui vivendo...
Tenho saudades de Ti.
Do que tive e agora perdi
porque não o soube ver sofrendo...
Tenho saudades de Ti.
A outra parte de mim,
e sem ela...
estou morrendo.

ps: A sua prosa é espantosa. A adjectivação, a construção de "imagens", a "transparência" da Vida...
"...abraçado ao fumo do cigarro, olhar perdido na chávena de café frio.
Fugiu o dia e chegou uma lua cheia de nada, vestida com o negro nocturno."
Lindo!

É um enorme prazer passar por aqui.

Carla disse...

São
porque acham que são donos da verdade, será?
beijos

Carla disse...

Eduardo Aleixo
..e no feminino te atradeço as tuas poéticas palavras
beijos

Carla disse...

Vanessa
porque a ausência é em si mesma um fim
beijos

Carla disse...

O Profeta
belas palavras me deixas
beijos

Carla disse...

Varal
E eu encanto-me com as tuas palavras
beijos

Carla disse...

José Veloso
outro beijo

Carla disse...

Anónimo
acredito que sim, de facto, há blogs interessantíssimos, quanto ao meu tenho muito prazer em que as pessoas por aqui passem e comentem, mas não obrigo ninguém a fazê-lo e, muito menos pretendo ser paladina do avanço das mentalidades no nosso Planeta, mas se quiser, da próxima vez que por aqui passar deixe o link do seu blog pode ser que por lá encontre material para uma sábia e proveitosa dissertação.
Um aviso... a única coisa que exijo a quem entra em minha casa é respeito por quem lá está, por quem é meu convidado, por isso as pessoas que por aqui passam e me comentam são minhas convidadas, logo exigo que as trate com o respeito que merecem.
Volte sempre com "novas descobertas", desde que "venha por bem".

Carla disse...

Paradoxos
que a presença substitua sempre a ausência
beijos

Carla disse...

Chapeleiro Nocturno
se a ausência surge há sempre uma ou mais razões para isso acontecer... obrigada pelas palavras deixadas nesta visita
beijos

Carla disse...

Renata
muito bom o teu post
beijos

Carla disse...

Pearl
tens toda a razão
um beijo e desejos de um bom ano para ti também

Carla disse...

LMatta
obrigada
beijos

Carla disse...

Borboleta
sensibilidade que tens
beijos

Carla disse...

Vagabundo
belo poema aqui ficou
e é um prazer ter-te por aqui
beijos

heretico disse...

texto muito bonito...

(longo,longo é o caminho... da perdição)

beijos

P.B. disse...

Olá Carla...

A falta só é verdadeiramente sentida quando a ausência se instala!
Muitas vezes só damos valor às coisas e às pessoas quando as perdemos!

Beijinhos

unno disse...

ola...
temos andado um pouco distantes disto... :), mas aqui estamos a desejar um feliz 2009, contando sempre com os teus magnificos poemas...
beijos.

Carla disse...

Herético
é mesmo longo
beijos

Carla disse...

P.B.
a força da ausência pela não presença
beijos

Carla disse...

Unno
sejam bem regressados e ainda bem que gostam dos meus poemas
beijos

João Videira Santos disse...

Uma ausência sintetizada em palavras que devoram o ritmo da sequência...Gostei!

vero disse...

Querida amiga, eu passaria horas a ler-te :)
Obrigada

Beijinhos

Dias disse...

A existir um Deus, as "ausencias" são uma das suas mais crueis invenções...

Gosto muito disto:
"esperou uma longa noite abraçado ao fumo do cigarro"

Bom post

Beijo

Carla disse...

João Videira santos
as histórias sem ritmo, são monótonas
beijos

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 264   Mais recente› Mais recente»