terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Silêncio em fuga


Passou por ele e não o viu.
Ele reconheceu-a, seguiu-a com os olhos embaciados e soube que estavam em universos opostos. Não adiantava agarrar a ilusão de um amor, se ela se recusava a permanecer.
Foi para casa e quando lhe telefonou a dizer que se tinham desencontrado limitou-se a confirmar elogiando o vestido claro que fazia brilhar a sua pele dourada e o verniz vermelho que ardia na areia que ela pisava.
Mas, então…estavas lá!
-Eu, sim! Mas, tu não! Toquei-te com o meu olhar e tu nem sentiste. Enviei-te uma mensagem pela brisa que acariciava os teus cabelos e tu devolveste-a sem a ouvires.
-Não te vi…
-Não me quiseste sentir!
-Lamento.
-Tiveste medo, por isso fugiste de mim.
Fez-se um silêncio vindo das profundezas do oceano, um silêncio desenhado de fuga e de medo e que a impedia de viver!

275 comentários:

1 – 200 de 275   Mais recente›   Mais recente»
Paula Raposo disse...

Tantos são os desencontros. Precisamos estar atentos...sempre atentos. Gostei de te ler. Beijinhos.

Léo Mandoki, Jr. disse...

...é sempre muito triste toda e qq forma de desencontros...mas não deixa de ser uma serendipidade que nos ultrapassa a compreensão...as vzs é tão dificil o encontro...a hipótese do encontro é tão mínima...e ainda por cima acontecem desencontros...
esse teu texto fez-me lembrar situações quotidianas...as vzs estamos na rua...no meio da multidão e, sem razão aparente, somos levados a reparar em alguem...a olhá-lo olhos nos olhos numa pessoa que nca a vimos e provavelmente nca mais a veremos...
o teu texto fez-me lembrar situações assim
beijos!! és linda

Valter Poeta disse...

Olá querida, tudo bem?

Eu fiz alguns Selos para os Blogs amigos e parceiros, estão no link abaixo, esteja a vontade para aceitar ou não, mas não deixe de dar uma olhada, bjs e boa semana.

http://valterpoeta.blogspot.com/2009/01/meus-presentes-para-seu-blog.html

Paula Raposo disse...

Obrigada pelo selo! Quando vim aqui há pouco foi ao mesmo tempo que mo deixavas...com todo o carinho o recebo por te teres lembrado de mim. Muitos beijos.

Amaral disse...

Os desencontros em universos da realidade, os desejos e as promessas que passam, subtis, sem se notarem, sem se manifestarem...
O silêncio da presença, algures à nossa volta... tantas vezes ao nosso alcance, à nossa mercê - aquilo que desejámos e pedimos...

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wind disse...

O medo de sentir é terrível.
Beijos

Nuno de Sousa disse...

Mais um texto de grande beleza, leitura fácil e bem agradável, e ficou lindo, pena o medo e ter fugido de um amor...

Bjocas amiga e mais uma bela imagem q aqui colocaste, bom trabalho,
Nuno

JOY disse...

Olá Carla

Bonito texto,

" Toquei-te com o meu olhar e tu nem sentiste. Enviei-te uma mensagem pela brisa que acariciava os teus cabelos e tu devolveste-a sem a ouvires."

Não se consegue ficar indifrente à beleza desta descrição.

Fica bem
Joy

DANTE disse...

Certas coisas que passam por perto de nós ás vezes são as mais distantes. Mas enfim , temos que esperar que o vento mude.

Jokas :)

Cleo disse...

Carla! um poema digno de mestre, menina. estou arrepiada ainda e lendo e relendo. um poema que fala do sutil que há em nós, estavam eles em dimensões diferentes. ele ali, ligado ao momento, ela ausente desta atmosfera, por isso não o sentiu.
isso acontece tanto na vida da gente, só quando aprendemos a estar ligados ao momento é que percebemos os gestos, o olhar que fala, a mensagem exalada pela alma a encontrar aconchego.
Lindo.
Uma maravilhosa semana prá ti, carregada de emoções.
Beijos carinhosos.
Cleo

Poeta Mauro Rocha disse...

Nunca deixe de viver...

Interessante texto, e como muitos deixam de viver por medo e depois descobrem que perderam muito.


Um abraço!!

Marcos Campos disse...

Olá Carla!
Belo texto!!
Sensivel...

Max Psycho disse...

eu acho que ela fez o certo, nãos e deve se apegar as pessoas, ficar naquela coisa de amor e tudo o mais, tem que se divertir, viu-me, ótimo, gostou? Não? Azar, eu nem ligo, eu acho que o pensamento é mais este, senão fica aquela frescura de horas no telefone (sem falar no "desliga voce primeiro que eu não tenho coragem") eu como sempre digo "amor é dor", bjus gata e obrigado pela visita

utopia das palavras disse...

O encontro do silêncio
com o desencontro
fugaz...
do querer...!

Lindo texto!

Beijo

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Gostei muito! lindissimo
Abraços

Amaral disse...

Carla
Impedia-a de viver, mas também de ter medo e de fugir.
Acontece tantas vezes.
Boa semana
Bjos

Marta disse...

Ás vezes, o silêncio é isso mesmo....
Texto poderoso...
Obrigada pela partilha..
Beijos e abraços
Marta

Menina do Rio disse...

Talvez voltem a se tocar na caricia de uma brisa
talvez a vida não marque outro encontro
Talvez...


Beijinhos

paula barros disse...

Alguns medos nos fazem fugir. Nos esconder de nós mesmos, dos sentires, do amor...

abraços

Justine disse...

Muito bem descrito, este momento pungente de distanciamento e desencontro.

Esplanando disse...

Desencontros... encontra-te primeiro e não terás tantos!

Nuno Medon disse...

Olá! Os desencontros são sempre chatos :( e eu que o diga.... por causa de um desencontro, perdi aquilo que poderia ser um começo de uma amizade...enfim, é a vida! Lindas palavras! Quanto ao teu comentário...é certo que o que escreveste, eu também quero para mim, mas o sonho de que fala o meu texto, não é esse.... beijos e uma boa semana! um abraço

LOURO disse...

Olá Carla,linda foto, acompanhada
de um belo texto!!! Gostei...

Beijinhos de carinho e amizade

Lourenço

Rafeiro Perfumado disse...

Por isso é que os cowboys andavam sempre com um laço, assim as gaijas não fugiam... ;)

Beijoca!

As Chamas do Fénix disse...

Lindas e sentidas essas palavras... por vezes o amor nasce para ser vivido a um...

Uma Grande Chama para ti...Beijos

Sininho disse...

As vezes procuramos por alguém que já não existe ....a vida não espera ...jinhos

mfc disse...

Toda a gente morre, mas nem toda a gente vive!

Mais um texto à tua altura.
Parabéns.

htsousa disse...

Um excelente retrato colorido dos desencontros da vida.

Fica em suspenso a forma de quebrar as correntes desse silêncio...

FERNANDA & ASTROLOGIA disse...

OLÁ QUERIDA CARLA, MAGNÍFICO TEXTO/POÉTICO DE UMA SITUAÇÃO QUE MUITAS VEZES ACONTECE NA VIDA REAL... QUANTAS VEZES OLHAMOS SEM VER, QUANTAS VEZES VIMOS SEM OLHAR... NESTE MUNDO COMPLEXO TUDO É POSSÍVEL... AMOR, DESAMOR, PAIXÃO, FRIEZA E MUITAS VEZES SEM MOTIVOS APERENTES... UM GRNDE ABRAÇO DESTA TUA AMIGA DO CORAÇÃO, FERNANDINHA

paulofski disse...

O desejo rompe barreiras, rompe o silêncio. Um sinal bastaria para que o olhar se cruzasse, ou não? Talvez o jogo do silêncio dê mais emoção, e às vezes dá!

O Profeta disse...

CONVITE

Porque as palavras são tantas, imensas, são ternura o afago, cruéis ou vil loucura. Quando ditas não voltam à boca.

Convido-te a partilhar “ALQUIMIA DAS PALAVRAS” no lançamento do livro com o mesmo nome da autoria de Armando Moreira, que terá lugar no dia 24 de Janeiro de 2009 pelas 21 horas e 30 minutos no Coliseu Micaelense.

O livro será aberto e do seu interior irão brotar canções, histórias e teatrices numa noite em que o feitiço estará presente e será servido por actores, cantores e poetas com a magia da Palavra…


Mágico beijo

Maria disse...

Quantas vezes o "sentir" é tão mais importante que ver ou ouvir...
... e tão mais necessário...

Beijos

Maria disse...

E porque de outro assunto se trata, outro comentário merece.
Primeiro, dar-te os parabéns pelo selo de Blog de Ouro, que é o teu, SIM!
Depois, agradecer-te a oferta que me fazes, e a que darei sequência rapidamente.

Obrigada, Carla.

Outro beijo

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindo o seu poema em prosa, Carla. Posso, na próxima edição do Galeria, postar um dos seus poemas?
Querida:
Postei no Galeria. É uma postagem que me dá orgulho. Gostaria que vc fosse apreciá-la e que deixasse a sua opinião. Mas é no Galeria, se vc quiser ir aos outros Blogs, vá depois.
Um abraço,
Renata

João Reis disse...

Belo texto. Tocante. Sensivel.
Bjs

Pena disse...

Amiga:
A vida é feita de encontros e desencontros. Ocasionais. Sentidos. Com uma justificação clara e sentida.
Brilhante o diálogo feito pelas suas mãos de sonho:
"...-Eu, sim! Mas, tu não! Toquei-te com o meu olhar e tu nem sentiste. Enviei-te uma mensagem pela brisa que acariciava os teus cabelos e tu devolveste-a sem a ouvires.
-Não te vi…
-Não me quiseste sentir!
-Lamento..."

Lindo. Profundo. Admirável.
É uma linda poetisa que faz sonhar e sonhar.
Bem-Haja!
Beijinhos sensíveis de um grandioso respeito e admiração

pena

OBRIGADO pela simpática visita que adorei!

Fatyly disse...

O medo...esse medo que gela e paralisa, mas que devemos tentar até conseguir pô-lo em fuga.

Gostei muito!

Obrigado pelo prémio:)

Beijocas

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Carla...belo texto...muito sensivel...Espectacular...
Beijos

Osvaldo disse...

Olá Carla;
Quando o Silêncio foge, não deixa rastos nem odores... O Silêncio é das armas mais dolorosas porque se esconde, não responde e é mudo...
O Silêncio faz mal...
O Silêncio... dói.

Belo poema, Carla
bjs

Gilbamar disse...

O silêncio às vezes esconde milhões de palavras que não podem ser ditas.

Fraternal abraço.

Paulo - Intemporal disse...

Serão sempre recônditos e indecifráveis os passos do coração

[...]

Será sempre o impulso alheio à própria vontade.

[...]

Misterioso e envolvente. Gostei muito.

Um beijo

Pedrasnuas disse...

A distracção pode ser fatal! Gostei da foto!!!

Branca disse...

Muito lindo Carla...
Amar e não poder viver esse amor em sua plenitude, não poder se atirar de cabeça nesse sentimento por medo...isso é matar aos poucos toda emoção que somos capazes de sentir...

Boa semana pra ti,
bjo carinhoso.

O Árabe disse...

Verdade. Quantas vezes, aparentemente tão próximos, estamos em universos diferentes...

Celamar Maione disse...

O medo nos faz perder grandes oportunidades....
Amarra nossos pensamentos e prende nossos corpos com grossas correntes invisíveis.
Belo poema !
Beijão

Pedro Branco disse...

Existe um caminho no meu coração
Capaz de tapar todas as histórias
Onde cada passo é uma inquietação
No sabor dos sonhos e das memórias

Existe um poço de fundo no peito
Cravado na doce e intranquila saudade
Onde me perco, assim ao meu jeito
Onde me quero encontrar, mesmo que tarde

Existe um poema maior em mim
Que me escreve olhos nos olhos sem cessar
Canção de amor eterno, sem fim
Onde desaguo todos os dias, feito rio feito mar

Só nos passos de quem passa
No enredo de quem canta
Em tons de carinho, fome ou desgraça
Voltaremos ao encontro e tudo outra vez se levanta!

JPD disse...

Bela narrativa, Carla.

O mais interessante é que

- ambos sabiam que a «química» não havia funcionado;
- que o desencontro, tendo sido quase uma tangente, se para casos assim é possível o recurso à geometria;
- não tendo sentido o impulso, a alegria e a euforia do encontro, não foram indeferentes ao "desastrado" encontro.

Porém

Comuncaram pelo telefone para um exercício de compreensão e conforto pelo aparente e sedutora postura individual.

Não é normal.

Mas a narrativa é exímia na criação desse clima.
É verosímil.
Seria excessiva, uma cena de mágoa e ofensa.

Bjs

Shakti disse...

Os desencontros da vida muitas das vezes acabam por derivar em silêncios..por vezes é triste...

bj

Multiolhares disse...

Existem os desencontros
quando não sentimos essa brisa de amor
beijos

Helena Paixão disse...

(suspiro)...

Sem comentários... fiquei a sonhar... :)

Bjs

poetaeusou . . . disse...

*
o toque
da, desilusão,
,
conchinhas,
,
*

Agulheta disse...

Muitos os desencontros,e as palavras que ficaram por dizer,gostei de ler.
Beijinho

Saltos Altos Vermelhos disse...

um dia destes encontram-se! está destinado!

neide disse...

Querida, obrigada pela visita,volta sempre.

Tem um selinho no meu cantinho pra você. Bjss

mdsol disse...

Nem sempre é fácil assumir o que se sente!
:))

Luciano Fraga disse...

Muito obrigado pela visita,voltarei aqui mais vezes, muito bom seu espaço, abraço.

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Ah, os desencontros... Bem, mas depois, o encontro pode ainda nascer!

Carla, sempre nos presenteando com lindos textos... Obrigada!


beijos e borboleteios

Maripa disse...

A vida é feita de encontros e desencontros...mas quando achamos que é o encontro certo há que agir e não ter medo.

Lindo e triste,o texto.

Beijo,Carla. E o meu carinho.

KrystalDiVerso disse...

Obrigada, Carla, ela passagem no KrystalDiVerso.
Referindo-me ao seu "desencontro", confesso que me escapou algo; não sei se algum pensamento ou o desenho de um desejo. Talvez um castelo submerso, algures entre o "vértice triangular" da areia, do mar e... um casal em desencontro?!... Ou apenas um desencontro muito particular, muito pessoal, muito seu?...

Convido-A a voltar ao KrystalDiVerso e ver um curtíssimo filme! Compreenderá a razão de uma palavra que não deve ser adiada!
Fale com ELE(a)

Escolha entre... beijos e abraços

Nanda Assis disse...

que jeito mais lindo de explicar este momento. fiquei aqui imaginando a cena.

bjosss...

Espelho disse...

Há momentos em que um simples olhar ilumina cá dentro, às vezes as palavras não exprimem todo um sentir.

Beijo

Andreia do Flautim disse...

Um abraço para ti!

Val Du disse...

Penso que muitas vezes o medo é uma prisão, pois ele nos obriga a fugir e silenciar.

Uma ótima semana para você.

Beijos.

gaivota disse...

terá sido um desencontro ocasional?
propositado???
nem se chegam a trocar saudações...
beijinhos

Laura disse...

há linhas que nunca se encontram, de facto. Mas não estará aí a beleza, mesmo que assim seja?

gosto da cor das tuas palavras.

Saara Senna disse...

As vezes nós deixamos de viver grandes amores e grandes momentos em nossas vidas, pelo simples medo de tentar... por ficarmos em silêncio... vivendo apenas desencontros.

Muito bom.
Beijos e boa semana :)

varal experimental disse...

Grande texto.

É preciso prestar muita atenção, queremos sempre algo, mas nem sempre dá certo.

Beijinhos.

manzas disse...

Por gostar tanto
de ler suas palavras…
Lhe deixo
os meus parabéns,
ao ler me encanto
Por escrever tão bem
Gostei e voltarei...

Sem nada saber
Sem nada dizer
Sem nada falar…
É um simples ser
Que expõem o seu pensar
Proferindo a frase certa…
Ao descrever o seu ver
Distingue-se ao escrever
Como um louco poeta

O abraço…

Fragmentos Intemporais disse...

Muito bom Carla... este texto deixa-me a pensar...

Novo post em eroticamente falando... atreve-te.

Beijos...

João Norte disse...

Lindo texto.
O número de visitas atesta o valor e abeleza destes textos poéticos.

Lmatta disse...

Lindo texto
beijos

SAM disse...

Lindo...Tão sutil e tão presente em nossa realidade que nos impele a dar um pause e pensar....Quantas vezes já nos aconteceu? E assim, uma injeção de sensibilidade... Obrigada.


Carla, obrigada pelo selo que adorei, principalmente pela mulher fantástica que és, fazendo-o reluzir pelo SEU brilho pessoal.


Carinhoso beijo.

mateo disse...

Fuga por medo de re_sentir? Porque não? Sentir ressentida... não presta!
Bjs

Luiz Caio disse...

Oi Carla! Como vai?
Sempre que aqui venho, belos textos encontro... Você escreve muito bem!

TENHA UMA ÓTIMA TARDE!
BEIJOS.

São disse...

Não há acasos nem coincidências e desencontros são sempre uma tristeza.
Beijo.

heretico disse...

adorei o texto. muito bem "sugerido" e (des)encontro...

beijos

José Veloso disse...

Sente-se maresias percorrendo as palavras...

Um belo dia
JV

Júnior de Paiva / Dish disse...

Esses desencontros que a vida provoca ás vezes fazem nos irmos por caminhos tortuosos e difíceis.
Não é mesmo?
Estou acompanhando teu blog!
Belas palavras!
beijos!

Eduardo Aleixo disse...

Mais do que sobre o desencontro... o poema que escreveste fala-me da indisponibilidade, do fingimento, da mentira, do sofrimento silencioso, das falsas esperanças, das quimeras perdidas por entre as mãos vazias, com os olhos olhando os sonhos dissipando-se na distância. As conversas que ficam são de plástico. Há sangue nos corações. As palavras são vazias. O teu texto é poético, denso, lúcido. Um abraço meu.
Eduardo

© Piedade Araújo Sol disse...

desencontros ou não!

a nostalgia do poema, a ilusão de querer agarrar algo que se perdeu.

muito bom o teu poema...

beij

Simples Assim... disse...

Há tantos motivos que podem fazer com que uma pessoa se desencontre de outra, inclusive, a incapacidade de perceber naquele momento um toque suave trazido por uma brisa cúmplice.

São tantos e tamanhos os desencontros nessa vida. Nos perdemos de uma pessoa importante, de uma situação que nos era confortável, de nós mesmos. Mas, quer saber? Ainda continuo concordando com o querido poetinha, a vida é mesmo a arte do encontro.

Vieira Calado disse...

Uma cena da vida real, embora embrulhada num tecido poético de palavras?

Cumprimentos meus

Pratas disse...

Mais um bonito poema.

Gostei muito, continua.

Beijinhos

tossan disse...

Algo que poderia ser e não foi... Ele sentiu...Medo dele mesmo! Lindo e diferente! Beijo

Philip Rangel disse...

O mundo blogueiro é vasto mesmo....passei em um blog amigo e achei o seu....conteudo..poesias...noticias....
blog q te faz voltar sempre...participar....

parabens pelo conteudo aqui apresentado.....

abraços

Philip Rangel

Um Poema disse...

....

Desencontros...
A vida está cheia deles.

Um abraço

xistosa - (josé torres) disse...

Será que há possibilidade de passar pela felicidade?
Pelo venturoso?
Pela satisfação e, ou, o contentamento?

Com olhos embaciados a visão turva-se.
O olhar tolda-se e a felicidade esvai-se ...

Por isso há olhos esplendorosos que irradiam raios jubilosos , com olhares que ofuscam o brilho do sol.

Olhares para a vida !
Como diz a Cleo, subtilezas que temos de saber interpretar ... quem não for capaz ... não sente a brisa.

(primeiro vão morrer os que apanharam a gripe.
Só depois é que começam com os do coração.
Ainda nem as medidas tiraram para o ataúde, sinal de que me vou manter á tona mais uns tempos.
O pior, mas muito pior, foi o coração do meu computador.
Pouco ou nada percebo destas máquinas e é caricato que o 1º computador. comprei-o, com mais dois colegas, há cerca de 30 anos.
Foi uma campanha da Zenith. O modelo ia acabar e de repente choveram encomendas ... de 600 contos, passou para 350, para professores, (foi a m/mulher que o comprou) e ofereciam uma impressora ...
Ainda o tenho e funciona.
Mas nunca confiei na máquina.
fazia os cálculos nela, mas depois conferia à mão e de calculadora ...

Agora foi-se e deixou-me descalço e nu ... completamente.
Até uns poemecos que era para ter editado em Novembro passado, se passaram para o lado de lá do "não sei de onde".
O m/filho que está em Inglatwerra mandou-me um programa para me controlar remotamente o m/ computador e vai tentar recuperar o que anseio ...
Por isso estou num computador emprestado.
O meu tem andado em bolandas, porque por acaso ele fez-me um backup no dia 24 de Dezembro.
Mas até agora não mo conseguem abrir.
Parece que o ficheiro que o fazia foi gravado no disco que "pifou".

Já estive para desaparecer ...
Quem me tem publicado as coisa é a m/ filha, mas é um trabalhão ...
Não sei.

Não quero ser escravo num país escravizado, vou tentar voar ...)
Obrigada pelo cuidado, relativo ao coração.
Sinto-o volta e meia, mas nunca o senti, como as máquinas o acusam ... razão tinha eu para o relacionamento com o meu antigo computador.
Não sei se a máquina substitui o homem.
Dizem que sim.
Que a fábrica do futuro só terá um homem e um cão.
O homem, para alimentar o cão.
O cão para não deixar o homem mexer nas máquinas ...
Antes de partir para o outro lado digo algo.

Um abraço de amizade e gratidão.

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Carla.

Quem sabe a carícia de outra brisa não seja sentida em outra oportunidade... quem sabe a vida não marque outro encontro, sem fugas, sem silêncios...

Texto maravilhoso!!

♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥

paradoXos disse...

são encontros e desencantos num texto que encanta!!

teu beijinho encontado, aqui!

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Carla.

Vi meu nome no selo ali do lado e levei ele comigo. :-)

Obrigada por ter se lembrado de mim.

♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥

Maria Clarinda disse...

uMa história de encontros e desencontros...linda.~ Parabéns.
jhs

Rei da Lã disse...

Clap, clap, clap!

:)))

Opuntia disse...

Realmente, o medo impede muitos de viver. Ás vezes, me sinto entre estes.

Linda postagem!

D. disse...

Você não quer saber?
Eu quero. Vote.

D.

© efeneto disse...

E mais um poeta por mim passou
E sussurrou-me ao ouvido
O que se passa aqui…

"São os cabelos negros,
selvagens,
que não se deixam desenhar,
são os olhos que se escondem
e sussurram tatuagens,
beijos quentes,
sonhados...
São as palavras não ditas,
são os mundos que tu sentes,
os papeis amarrotados…

É a brisa que te leva,
é o vento que me traz…Aqui
para te ler e apreciar,
a musica ouvir e no ouvido levar.

Vou sair conforme entrei
E sussurrar ao poeta, que aqui pode entrar...

Voltarei aos poucos a visitar os amigos que souberam esperar…

pin gente disse...

o medo... que tantas vezes no impede de viver!

um beijo, carla

Miguel Barroso disse...

Triste, vero e bem escrito.

Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Daniel Costa disse...

Carda

A história tem muito sentido e gostei, como tenho apreciado sempre que passo, mas tem faltado pouco o tempo.

Daniel

Nilson Barcelli disse...

Encanta-me a tua escrita. Porque ela, para além de outros aspectos positivos, tem elegância. É isso, escreves sempre com elegância.
Acho que deves ter elegância mesmo quando tratas mal alguém. Não o sei, mas sinto-o.
Beijo.

Gasolina disse...

O medo atrasa tudo.

E o tocar dos olhos afasta-se.

(Estou a gostar desta sequencia, muito mesmo)

Beijo

Carolina Montenegro disse...

"Toquei-te com o meu olhar e tu nem sentiste." sem dúvida que um olhar tem imenso poder... :)

S disse...

Já tinha saudades de vir aqui ler os teus textos.Mais um texto tocante.Beijinhos

Chapeleiro Noturno disse...

Carla pior do que errar só mesmo nem tentar.

Gosto muito da poesia dos teus textos. Dá pra sentir vida neles, vida de verdade, não aquelas empulhações que alguns tentam fazer passar por poesia.

bjo.

jo ra tone disse...

Carla,
Bonito o texto de
encantar com o olhar.
Beijo

Carla disse...

Paula raposo
mesmo atentos há desencontros que acontecem
beijos

Carla disse...

Léo
...são momentos de "encontro", como se esse alguém já tivesse feito parte de um momento nosso
beijos

Carla disse...

Valter
obrigada pelos selos
beijos

Carla disse...

Paula raposo
obrigada por receberes o selo...acho que o mereces plenamente
beijos

Carla disse...

Amaral
Às vezes mesmo desejando construímos o desencontro
beijos

Carla disse...

MPereira
ou vendo...se afastam...
beijos

Carla disse...

Wind
terrível pela dor que provoca
beijos

Carla disse...

Nuno
o medo de amar acontece e impede de viver
obrigada pelo teu olhar e presença
beijos

Carla disse...

Joy
obrigada por não seres indiferente e passares por aqui
beijos

Eu sei que vou te amar disse...

Escolha de imagem que acompanha esta dança de palavras de uma forma poetica e profunda!
Maravilhoso!!
Beijo doce

Carla disse...

Dante
ou mudarmos o sentido do vento
beijos

Carla disse...

Cleo
viver os momentos em plenitude é uma arte...e nem sempre conseguimos
beijos

Carla disse...

Mauro Rocha
o medo quase nunca é um bom amigo
beijos

Carla disse...

Marcos Campos
Obrigada
beijos

Carla disse...

Max
amor é dor...mas não sempre
beijos

Carla disse...

Utopia das palavras
..o desencontro do querer...é mesmo isso
beijos

Carla disse...

Uma página para dois
obrigada
beijos

Carla disse...

Amaral
acima de tudo impedia-a de viver
beijos

Carla disse...

Marta
o silêncio assim é total e dorido
beijos

Carla disse...

Menina do Rio
acredito que a brisa voltará a tocá-los, certamente
beijos

Carla disse...

Paula Barros
o medo que nos faz fugir de nós é o que nos impede de viver totalmente
beijos

Carla disse...

Justine
desencontro sim, mas seria um distanciamente mesmo desejado?
beijos

Carla disse...

Esplanando
essa é uma verdade irrefutável
beijos

Carla disse...

Nuno
os desencontros são sempre situações pouco agradáveis
beijos

Carla disse...

Louro
obrigada
beijos

Pedro Barata disse...

Entendo bem o que escreveste... Infelizmente!
Beijinhos

vagabundo disse...

È pena, mas é verdade.

Por vezes, a brisa que nos sopram…
Sentimo-la como um tufão.
Quantas vezes não nos sentimos presos…
na Liberdade?!
Quantas vezes não está nela a nossa prisão???
Ele está errado!
Ela sentiu-lhe o olhar…
Mas o medo fê-la disfarçar,
E a mensagem embateu-lhe…
no tumulto do coração.

Carla disse...

Rafeiro
ai não que não fugiam...eles é que se embebedavam e nem davam por ela ;)
beijos

Carla disse...

As Chamas do Fénix
o amor nunca nasce para ser vivido a um, às vezes há quem fuja e impeça o amor de crescer
beijos

Carla disse...

Sininho
...a vida não espera, mesmo quando queremos que ela faça isso
beijos

Carla disse...

MFC
verdade
beijos

Carla disse...

Htsousa
voltaste?
há sim formas de se quebrar correntes, desde que haja força e coragem para isso
beijos

Carla disse...

Fernanda
assim é
beijos amigos

Carla disse...

Paulofsi
acho que aqui não era um jogo...seria mais medo, apenas
beijos

Carla disse...

O profeta
obrigada pelo convite
beijos

Carla disse...

Maria
o sentir é sempre importante no amor
beijos

Carla disse...

Maria
obrigada pelos parabéns e por teres aceite o selo
beijos

Carla disse...

Renata
claro que podes utilizar os meus poemas sempre que quiseres...passo já pelos teus belos blogs
beijos

Carla disse...

João reis
obrigada
beijos

Carla disse...

Pena
sempre sensíveis e belas as palavras que aqui me deixa
beijos

Carla disse...

Fatyly
o problema muitas vezes é conseguir encontrar forças para o vencer
obrigada por teres aceite o prémio
beijos

Carla disse...

Chana
obrigada pela sensibilidade do teu olhar
beijos

Carla disse...

Osvaldo
dói, porque é uima silêncio de mágoa
beijos

Carla disse...

Gilbamar
não podem ser ditas e, se calhar, deviam ter tido a força suficiente para romper o silêncio
beijos

Carla disse...

Paulo
o coração dá-nos impulsos, por vezes difíceis de decifrar
beijos

Carla disse...

Pedras nuas
...se pode...obrigada
beijos

Carla disse...

Branca
é matar a emoção e provavelmente a possibilidade do amor viver
beijos

Carla disse...

O Árabe
assim é, infelizmente
beijos

Carla disse...

Celamar
o medo é feito de correntes que nos aprisionam
beijos

Carla disse...

Pedro Branco
sempre belas as tuas palavras
beijos

Carla disse...

JPD
a ofensa não teria cabimento...acho que no fundo havia amor...algo os teria separado
beijos

Carla disse...

Shakti
principalmente quando não são silêncios desejados
beijos

Carla disse...

Multiolhares
ou quando evitamos senti-la
beijos

Carla disse...

Helena
que bom!
beijos

Carla disse...

Poetaeusou
sim...triste toque
beijos

Carla disse...

Agulheta
obrigada
beijos

Carla disse...

Saltos Altos Vermelhos
também acho
beijos

Carla disse...

neide
obrigada eu pelas visitas e pelo selo
beijos

Carla disse...

mdsol
e lutar por esse sentimento é ainda mais difícil
beijos

Carla disse...

Luciano
obrigada eu...volta sempre
beijos

Carla disse...

Brunella
eu espero que sim
beijos e obrigada

Carla disse...

Maripa
...e não ter medo...é isso mesmo
beijos

Carla disse...

Krystal
os desencontros são sempre únicos
beijos

Carla disse...

Nanda
acho que era esmo isso que eu pretendia
beijos

Carla disse...

Espelho
um olhar pode dizer mais do que uma imensidão de palavras
beijos

Carla disse...

Andreia
bom fim de semana
beijos

Carla disse...

Val Du
muitas vezes msmo é essa prisão castradora
beijos

Carla disse...

Gaivota
acho que foi propositado, mas dorido
beijos

Carla disse...

Laura
e eu gostei imenso de descobrir o teu espaço
beijos

Carla disse...

Saara
esses são os piores desencontros, os que nós provocamos a nós mesmos
beijos

Carla disse...

Varal
atenção e vontade de conseguir
beijos

Carla disse...

Manzas
e que magníficas palavras
beijos

Carla disse...

Fragmentos
que bom
vou já lá ver
beijos

Carla disse...

João Norte
obrigada...pela presença
beijos

Carla disse...

LMatta
obrigada
beijos

Carla disse...

Sam
acho que todos já passamos por isto
obrigada por teres aceite o selo
beijos

Carla disse...

Mateo
ressentida certamente que não é bom
mas re-sentir o que agradou poderá ter uma outra oportunidade para lá do medo?
beijos

Carla disse...

Luiz caio
que bom que gostas
beijos

Carla disse...

São
os desencontros são sempre tristes
beijos

Carla disse...

Herético
obrigada
beijos

Carla disse...

José veloso
e são esses aromas que as palavras oferecem
beijos

Carla disse...

Júnior de Paiva
caminhos tortuosos e nem sempre desejados
beijos

Carla disse...

Eduardo
creio que não seria fingimento amigo...mais um sofrimento silencioso e a certeza de estar a perder algumas dessas quimeras
beijos

Carla disse...

Piedade
agarrar algo que se perdeu...nem sempre é possível
beijos

Carla disse...

Simples assim
a vida é a capacidade de fazer esse encontro
beijos

Carla disse...

Vieira Calado
assim é
beijos

Carla disse...

Pratas
obrigada
beijos

Carla disse...

Tossan
acho que o medo terá sido mais dela, não?
beijos

Carla disse...

Philip
que bom que essa visita o trouxe aqui
obrigada e volte sempre

Carla disse...

Um poema
cheia deles e quase todos desagradáveis
beijos

Carla disse...

Xistosa
passar pela felicidade...ou deixar a felicidade passar por nós e não estendermos a mão para lhe dizermos "estamos aqui"!!!
estás melhor que o teu PC e ainda bem que assim é...acredito que vais conseguir recuperar o que perdeste.
E tens razão no sentir do teu coração, mas se as máquinas o puderem ajudar aproveita...porque ainda é cedo para saberes o que está do outro lado
beijos e tudo de bom

Carla disse...

Sorriso
pode ser que a vida crei uma segunda oportunidade e que a fuga dessa vez não aconteça
beijos

Carla disse...

Paradoxos
que bom que saiste encantado
beijos

Carla disse...

Sorriso
claro que é teu o prémio ia avisar-te que to ofereci..feliz por teres aceite
beijos

Carla disse...

Maria Clarinda
obrigada por teres gostado da história
beijos

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 275   Mais recente› Mais recente»